• Início
  • Instituto de Cristianismo Contemporâneo

Instituto de Cristianismo Contemporâneo

Coordenação

José Brissos-Lino

Adjunto

Joaquim Franco

Investigadores

  • José Brissos-Lino
  • Joaquim Franco
  • Vitor Rafael

Contacto

jose.lino@ulusofona.pt

Site

Instituto de Cristianismo Contemporâneo

Apresentação e objectivos

Numa época em que o regresso da fé está a mudar o mundo, e simultaneamente, se registam fenómenos religiosos de ruptura com a paz entre os povos, a convivência entre as religiões, a tolerância e os direitos humanos, a Universidade Lusófona decidiu criar o Instituto de Cristianismo Contemporâneo (ICC), integrado na área de Ciência das Religiões.

Objectivos Gerais

Contribuir para uma cultura de paz e tolerância entre diferentes expressões de fé e promover o diálogo inter-religioso.

Estudar as novas tendência sociais à luz da fé cristã.

Promover a reflexão da fé na sociedade contemporânea, em todas as suas vertentes: culturais e artísticas, sociais, políticas e comunicacionais, incluindo no mundo do trabalho.

Abordar as implicações da religião na vida mental e emocional do ser humano, em particular do homem religioso.

Reflectir sobre a dimensão ética da fé nos diversos contextos de vida, incluindo nas profissões.

Promover o aprofundamento teológico e a contextualização da fé no homem do século XXI.

Desenvolver mecanismos de cooperação que possibilitem a participação conjunta em projectos, estudos e exploração de novas ideias e pesquisas, em parceria com outras entidades.

Objectivos específicos

  • Incentivar a investigação científica na área da religião e espiritualidade, no âmbito dos vários ramos da fé e vivência cristãs.
  • Promover sinergias entre parceiros complementares
  • Alavancar as competências individuais
  • Desenvolver e fortalecer o potencial humano
  • Identificar novas oportunidades de investigação
  • Desenvolver candidaturas em conjunto a programas de investigação

Áreas de investigação

Área de investigação 1 – Política, ética e sociedade face à crença religiosa

A história e a herança de dois mil anos de fé cristã, observadas nas suas mais diversas expressões revelam que o Cristianismo não se restringe apenas a uma dimensão devocional, pessoal e privada do homem religioso. Pelo contrário, entrecruza-se com as dimensões culturais e sócio-políticas, constituindo-se sempre como agente de impacto nas sociedades onde se faz presente, muitas vezes levantando questões de carácter ético. Fenómeno semelhante acontece com diversas outras expressões de fé religiosa.

Grupos de investigação
Impactos sociais, emocionais e culturais do Neopentecostalismo

Os movimentos religiosos denominados neopentecostais apresentam hoje uma influência notória em quase todo o mundo e corporizam uma das expressões mais visíveis do retorno do homem contemporâneo ao religioso e à espiritualidade. A transcendência influencia assim a vida quotidiana, mas igualmente a forma de pensar, sentir e agir dos indivíduos, requerendo da sua parte um determinado grau de compromisso.

Objectivo

Procurar conhecer até que ponto a teologia e a praxis observadas nos grupos neopentecostais provocam efeitos na saúde mental e emocional dos fiéis, e quais serão eles, assim como nas suas relações sociais de todo o tipo e também no seu desenvolvimento cultural, ou se essa dimensão religiosa e espiritual potenciará alguns riscos psicopatológicos na pessoa e nas suas relações.

Cristianismo e minorias étnicas

A globalização verificada nas últimas décadas complexificou as sociedades mais monolíticas, do ponto de vista antropológico, como a portuguesa. A sociedade portuguesa foi acolhendo, quer por via da descolonização, quer da imigração, povos, gentes, religiões e espiritualidades diversas, tornando-se tendencialmente multicultural.

Objectivo

Procurar conhecer que manifestações se fazem representar em Portugal, por parte de minorias étnicas e estrangeiras, no âmbito da fé cristã, do ponto de vista das comunidades locais de fé efectivamente constituídas e em funcionamento regular, de modo a desenvolver estratégias com o fim de promover o incremento do diálogo interconfessional e religioso.

Cristianismo contemporâneo na era mediática

A superficialidade mediática estribada na vertigem do tempo e na espuma dos dias tem remetido as abordagens comunicacionais à área religiosa para uma prática sensacionalista, privilegiando quase sempre o campo das bizarrias, polémicas, escândalos e especulações.

Objectivo

procurar compreender até ponto os órgãos de comunicação social e o meio mediático podem desempenhar um papel construtivo, efectivamente informativo, na linha do desenvolvimento duma consciência social e religiosa, que dê espaço e expressão à contemporaneidade da fé cristã.

A liberdade religiosa (depois da Segunda Guerra Mundial) face aos desafios da contemporaneidade

O mundo saído do final da Segunda Guerra Mundial, a subsequente reconstrução da Europa e os esforços diplomáticos para garantir a paz e evitar os conflitos bélicos no velho continente marcaram toda a vida das comunidades humanas europeias. A situação religiosa também mudou imediatamente no pós-guerra e colocaram-se questões fulcrais do ponto de vista do exercício da liberdade religiosa.

Objectivo

Procurar conhecer que desafios o mundo contemporâneo foi colocando, desde meados do século passado, e que tipo de respostas recebeu por parte da religião institucionalizada, tendo em vista o primado das liberdades individuais.

Devoção mariana e (re)construção do feminino no Cristianismo

A tradição católica-romana portuguesa inclui uma forte vertente do culto mariano. Essa devoção específica a uma figura feminina contrasta com o apagamento ou secundarização do feminino nessa tradição religiosa, marca distintiva destes dois mil anos de fé cristã.

Objectivo

Procurar compreender até que ponto o culto mariano pode vir a promover no futuro, directa ou indirectamente, a relevância da mulher no catolicismo e nalgumas outras confissões cristãs onde ela enfrenta diversos condicionamentos na afirmação institucional da sua fé, reconstruindo assim o feminino no âmbito do cristianismo.

Área de investigação 2 – Consulta Cristã

Os desafios da contemporaneidade – com que se confronta a fé cristã em Portugal, assim como no mundo lusófono e global – sugerem uma atenção particular face aos diversos fenómenos observáveis no âmbito religioso. A Consulta Cristã constitui uma área de trabalho do Instituto de Cristianismo Contemporâneo (ICC), integrado na área de Ciência das Religiões (ULHT), e tem os seguintes.

Objectivos

  • Acompanhamento estatístico da evolução do Cristianismo em Portugal, no mundo lusófono e a nível global, considerado nos seus diversos ramos de tradição e expressão
  • Realização de inquéritos e sondagens de opinião sobre matérias ligadas à realidade do cristianismo contemporâneo e à vivência dos valores cristãos na actualidade
  • Sinalização específica das problemáticas e dificuldades de percurso observáveis no meio cristão e no percurso das comunidades de fé
  • Apreciação dos esforços de diálogo interdenominacional, ecuménico e interconfessional
  • Registo da evolução teológica do cristianismo contemporâneo nos seus diversos sectores

Área de investigação 3 – Núcleo de Estudos em Psicologia da Religião e Espiritualidade (NEPRE)

Religião e Psicologia: diálogos, confrontos e interculturalidades. A Psicologia da Religião e Espiritualidade procura investigar cada vez mais as diferentes vivências religiosas e seus impactos no indivíduo e na pessoa em relação, em especial no actual quadro de globalização.
Os efeitos mentais e emocionais das crenças e vivências religiosas e espirituais no indivíduo, na família, nos grupos sociais e na sociedade, desafiam os investigadores a uma leitura atenta dos fenómenos religiosos e seus efeitos psíquicos e emocionais nos indivíduos.

Objectivos

  • Conhecer os efeitos mentais e emocionais das diferentes formas de expressão das religiões e da espiritualidade, estimulados e provocados nos indivíduos crentes e até que ponto ambos os campos científicos – Ciência das Religiões e Psicologia – se entrecruzam, influenciam e dialogam.
  • Desenvolver investigação sobre os fenómenos psicossociais do indivíduo e do grupo no âmbito da religião e espiritualidade.
  • Promover a aplicação de métodos de investigação psicológica e quadros interpretativos às diversas formas de religião e espiritualidade, tendo em conta a adopção, criação e validação para a população portuguesa de escalas e outros instrumentos de pesquisa
  • Incentivar o diálogo construtivo e o intercâmbio entre os estudos na área psíquica, emocional e mental, por um lado, e as crenças, vivências e dinâmicas verificadas no âmbito das instituições religiosas ou fora delas, por outro lado.
  • Promover a participação qualificada de todos os investigadores que encarem a religião e a espiritualidade como factor significativo no funcionamento humano, tendo como objecto de estudo o universo dos fiéis de todas as crenças, mas também quem não tenha filiação religiosa ou não professe um compromisso de fé pessoal particular.
  • Desenvolver iniciativas de partilha e reflexão na sua área específica de actuação.

Actividades de comunicação

José Brissos-Lino

  • “A Psicologia como forma de estudo do fenómeno religioso: novas abordagens”
  • “A síndrome do Samaritano no contexto judaico do I século e o acolhimento ao estrangeiro”

Joaquim Franco

  • “Francisco: do messianismo mediático à ‘liderança’ mundial”

Vitor Rafael

  • “O Fenómeno do empreendedorismo no seio das igrejas neopentecostais portuguesas”