Peregrinos e Turistas: em Diálogo na construção de Cidadania | 23 de Maio, pelas 18h

INFORMAÇÃO

 Realiza-se no dia 23 de Maio, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal de Tomar Dr António Cartaxo da Fonseca (Alameda dos Templários, Tomar), com a parceria da autarquia local, o quinto debate do Roteiro para o Diálogo Inter-religioso e Cultural:

 DEBATE

Peregrinos e Turistas: em Diálogo na construção de Cidadania

23 de Maio, pelas 18h00, Biblioteca Municipal de Tomar

 Anabela Freitas

Presidente Câm. Mun. Tomar

Pe Carlos Godinho

Obra Nacional da Pastoral do Turismo

Elisha Salas

Rabino Comunidade Judaica de Belmonte

Filomena Barros

Professora de História do Islão

João Serrano

Economista/Confraria Ibérica do Tejo

Pedro Machado

Entidade Regional Turismo do Centro de Portugal

Rui Lomelino de Freitas

Professor de Gnose e Esoterismo Ocidental

Joaquim Franco (moderação)

 Observatório para a Liberdade Religiosa

Paulo Mendes Pinto (comentário final)

Área Ciência das Religiões Univ. Lusófona

 Este evento, organizado pela Área de Ciência das Religiões da ULHT, na qual está sediado o Observatório para a Liberdade Religiosa, ocorre no âmbito de um projeto da associação Karingana wa Karingana – Roteiro para o Diálogo Inter-religioso e Cultural – e insere-se num outro roteiro denominado Cidadania em Portugal, da responsabilidade da ANIMAR, ambos com o apoio e parceria do gabinete da Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade.

Outros debates já realizados:

Livros Sagrados: Leituras de Guerra ou de Paz?, em Coimbra, a 22 de fevereiro (com David Munir, Isabel Allegro Magalhães, Rui Lomelino de Freitas)

O papel e a responsabilidade da mulher em contexto religioso, em Torres Vedras, a 3 de abril (com António Faria, frei José Nunes, Mariana Vital, Isaura Feiteira, José Brissos-Lino e a secretária de estado Catarina Marcelino)

Criança, Religião e Espiritualidade, em Fafe, a 8 de abril (com Rachid Ismael, Esmeralda Lima, Alexandre Honrado, Pe. Pedro Marques, Margarida Cardoso, Carmen Bandeo)

O Mundo, um Papa e as Religiões, em Évora, a 18 de maio (com António Marujo, José Brissos-Lino, Fernanda Henriques, Pe Alberto Brito, Filomena Barros)

 

Entidades Organizadoras e Parceiras:

 

 

     

4o Seminário de Mestrado “A experiência vivencial determinada: as 8 Consciências Cognitivas na Escola Yogācāra” (Dharma do Buda). “Carl Jung revisitado. Um olhar cristão restauracionista”.

 ✦ Data: 18 de Maio

✦ Local: Sala S. 0.9; Universidade Lusófona

✦ Horário: 18.00-19.50

✦ António Faria e H. Machado Jorge

Sobre as temáticas:

Para explicar e reorientar a experiência cognitiva da mente, a escola Yogācāra postula a existência de oito consciências. Acolhendo o anterior modelo (Abidharma) das seis consciências – cinco ditas “sensoriais” e a mente (manovijñãna) como 6a consciência, apresenta como 7a consciência o que denomina como “consciência afligida” (kliṣṭa-manas) que, pese embora possua a capacidade de discriminar, é “tingida” por quatro “poluentes” que actuam de modo a criar um falso quadro da realidade: uma sensação de “confusão”, a existência de um “eu” autónomo, assim como orgulho e amor próprio. Estas “sementes” de condicionamento cognitivo constituem os “perfumes”, as inclinações pessoais e restante herança karmica, isto é, a 8a consciência, dita “consciência armazém” (ālaya-vijñāna), que pode ser entendida ainda como uma espécie de “inconsciente pessoal”, a base de todas as outras consciências e responsável tanto pela variedade de ideias como pelas impressões determinadas pelas “sementes” e “perfumes” aí depositados.

No único texto que Carl Gustav Jung propositadamente escreveu para não- especialistas, a descrição que traça para o Inconsciente é de uma realidade factual alternativa que se manifesta a cada ser humano segundo símbolos que só podem ser cabalmente explicados no quadro psíquico dessa pessoa. Essa caracterização permite, designadamente, explicar os «golpes de génio», supostamente subjacentes a grandes progressos científicos. Subsiste, porém, a questão essencial: Qual a «força propiciadora» que rege o «trânsito» entre consciente e inconsciente, conhecimento assumido e conhecimento subliminar? Qual a explicação que um crente filo-cristão encontra para esse tipo de fenomenologia e tradições confessionais vindicam, como igualmente o fazem cosmovisões asiáticas? A apresentação não procura expressamente «explicar», mas sim trazer a colacção testemunhos sustentados por meditação/reflexão e «apelo intimista», desenvolvidos ao longo de milénios de interrogação individual e colectiva.

 

Organização:

Linha de Investigação «Cosmovisões da Ásia»

CICMER – Área de Ciência das Religiões

FCSEA-ULHT

Inquérito académico para Pagãos em Portugal

O Centro de Investigação em Cosmovisões e Mundivivências Espirituais e Religiosas (CICMER) da Área da Ciência das Religiões da Universidade Lusófona, deu forma a um programa de investigação centrado na “Percepção do Paganismo em Portugal”, que resultou num questionário dirigido a todos os indivíduos que se reconheçam enquanto pagãos em Portugal.
Para mais informações sobre este inquérito contactos:
estudospaganismoportugal@gmail.com
marianavitalcr@gmail.com

4º Ciclo de Conferências – Desafios da Contemporaneidade ao Cristianismo

27 Abril (quinta-feira) às 18h30  Sala S.0.9 (ULHT).

O Ciclo de Conferências “Desafios da Contemporaneidade ao Cristianismo” continua na próxima quinta-feira, dia 27 de Abril, sob o tema “A Fé (enquanto mensagem) nos média”, Levi Simões (RTM-Rádio Transmundial).

A organização é do Instituto de Cristianismo Contemporâneo (CICMER)