Author Archive

Amor em Ibn ‘Arabī e Abhinavagupta: palestra online por Sandra Benato (16 dez. ’22)

IBN ‘ARABĪ E ABHINAVAGUPTA – DIÁLOGO SOBRE O AMOR FUNDAMENTAL

Palestra com Sandra Benato
(MIAS-Latina – Ibn Arabiī Society)

 

Sexta-feira dia 16 de dezembro às 18h (horário de Lisboa)
Via Zoom, sem inscriçãohttps://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

 

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos
(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona – Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica)
Coord. Fabrizio Boscaglia

RESUMO

Esta comunicação apresenta, de modo extremamente sumário, sincronicidades entre o pensamento sufi de Ibn ‘Arabī e o xivaísta não-dual de Abhinavagupta a partir de alguns conceitos fundamentais para ambos, como a unicidade entre existência e consciência, a perplexidade e o amor como fundamentos da realidade. Para isso colocamos os dois Grandes Mestres em diálogo imaginal, por um lado, pois nunca se conheceram, e factual, por outro, através de seus escritos. Ainda em fase inicial,  este trabalho já demonstra a característica tântrica de Ibn ‘Arabī e o estado de “Luz sobre Luz” de Abhinavagupta, e permite abordagens co-referenciais na compreensão do trabalho tanto de um quanto de outro.

A ORADORA

Doutora em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo; Mestre em Filosofia pela Universidade Católica de Curitiba; Bacharel em Comunicação/Jornalismo, Filosofia e Artes Plásticas; Pós-graduada em Ensino e Tradução; professora de Yoga e Yogaterapia, com formação em vários sistemas e diferentes países ao longo de mais de quarenta anos. Membro da MIAS-Latina (Ibn ‘Arabī Society).

Mais informações sobre o Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

 

Mística Islâmica – Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona é entidade parceira de Simpósio na PUC Minas

A Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona é entidade parceira do I Simpósio Internacional de Mística Islâmica PUC Minas «Ao encontro de Ibn ʿArabī», no qual participa o professor Fabrizio Boscaglia (coordenador da Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica na Área de Ciência das Religiões e coordenador da MIAS Latina em Portugal) com a comunicação «A receção de Ibn ʿArabī na cultura portuguesa contemporânea dos séculos XX e XXI», no dia 16 de dezembro, às 17h (horário de Portugal continental, online).

Via canal Youtubehttps://www.youtube.com/@ppgcrpucminas3704

Mais informações: https://www.facebook.com/ppgcrpucminas / http://www.pucminas.br/ppgcr

Adiamento do Colóquio «Islão e Europa»

Por razões organizativas e logísticas, o Colóquio «Islão e Europa», a decorrer no contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, e inicialmente previsto para o dia 25 de novembro de 2022, ficou adiado para o início de março de 2023 (data a confirmar).

Mais informações serão dadas atempadamente.

(Fica confirmada a seguinte sessão do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, no 16 de dezembro).

Arte Islâmica – Palestra com Jessica Hallett (28 out. ’22)

WHAT IS ISLAMIC ART? A REFLEXTION ON CALOUSTE GULBENKIAN’S COLLECTION

Palestra com Jessica Hallett
(Museu Calouste Gulbenkian – Conservadora Sénior)

Sexta-feira dia 28 de outubro às 18h (horário de Lisboa)
Via Zoom, sem inscriçãohttps://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

A palestra decorre em língua inglesa.

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos
(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona – Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica)
Coord. Fabrizio Boscaglia

RESUMO

Over the course of his life, Calouste Gulbenkian acquired some 750 objects with origins extending from modern-day Egypt to Indonesia, and ranging from arts of the book to ceramics, glass, carpets, textiles and wall tiles. Since the opening of the museum, in 1969, these works have been housed in the Islamic East Gallery (‘Galeria do Oriente Islâmico’) and organized by place, date and media. While most admirably fulfilling Gulbenkian’s criterion for “tip top” quality, the collection is neither encyclopedic nor entirely representative of the vast range of material considered ‘Islamic art’. Indeed, the term ‘Islamic’ was never part of Calouste’s own vocabulary and throughout his life, he regarded himself and the art he collected to be ‘Oriental’. This talk will explore the creation of the collection to better understand how the Museum is interrogating its current and future display.

A ORADORA

Jessica Hallett is Senior Curator of the Middle East and China, and Coordinator of Research, at the Calouste Gulbenkian Museum. Her doctoral thesis (Oxford 1999) gave rise to the exhibition, Iraq and China. Ceramics, trade and innovation, at the National Museum of Asian Art, Smithsonian, Washington (2004). Most recently, she curated The Rise of Islamic Art, 1869-1939 (2019) which looked at Calouste Gulbenkian’s collecting activities in geopolitical context. She is currently involved in the participatory curation project, Power of the Word, and preparing the catalogue of Gulbenkian’s renowned carpet collection, with Clara Serra. Hallett has an undergraduate degree in Analytical Chemistry and promotes interdisciplinary work at the Museum.

Mais informações sobre o Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

 

Cosmologia alfanumérica e espiritualidade islâmica (palestra, 30 set. ’22)

COSMOLOGIA ALFANUMÉRICA E ESPIRITUALIDADE ISLÂMICA

Palestra com Juan Acevedo
(FCUL – Universidade de Lisboa)

Sexta-feira dia 30 de setembro às 18h (horário de Lisboa)
Via Zoom, sem inscriçãohttps://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos
(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona – Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica)
Coord. Fabrizio Boscaglia

RESUMO

Como é que uma maneira de conceber o universo (cosmologia) se relaciona com uma maneira de viver orientada ao aperfeiçoamento da alma para Deus (espiritualidade)? como acontece isto no Islão? que relação pode isto todo ter com a língua árabe, seus sons e seus signos? Em particular, que tem a ver isto todo com o Alcorão e a sua qualidade de escrita incriada? Pitágoras dizia que tudo é número e os cabalistas diziam que tudo é letras dum alfabeto: como aparecem estas ideias no Islão e como se relacionam com o sufismo (taṣawwuf) e com a oração? Estas são algumas das perguntas que vão ser tratadas na palestra.

O ORADOR

Juan Acevedo nasceu em Londres em 1971 e cresceu na Venezuela, onde estudou línguas e literaturas clássicas (e hebraico) na Universidad de Los Andes. Após anos a trabalhar na edição bilingue de textos árabes em Cambridge (Islamic Texts Society), e no estudo comparativo das religiões com a Matheson Trust, fez um doutoramento no Warburg Institute, Londres. Sua tese tem a ver com a definição da cosmologia alfanumérica e as suas manifestações diversas nas religiões abraâmicas. Atualmente trabalha na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa para o Projeto RUTTER, “Making the Earth Global” no Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, a estudar os princípios e as aplicações da náutica árabe pré-moderna no Oceano Índico..

Mais informações sobre o Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

 

Herança islâmica em Portugal – Palestra com Renata Fontanillas (29 jul. ’22)

HERANLA ISLÂMICA EM PORTUGAL: ACHADOS DOS SÉCULOS VIII-XIII

Palestra com Renata Fontanillas
(ARTIS – Universidade de Lisboa)

Sexta-feira dia 29 de julho às 18h (horário de Lisboa)
Via Zoom, sem inscriçãohttps://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos
(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona – Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica)
Coord. Fabrizio Boscaglia

RESUMO

Na literatura de referência sobre Arte Islâmica publicada até hoje é muito raro encontrar alguma referência ao patrimônio material português do seu período islâmico. Isso significa que Portugal teria passado mais de cinco séculos sob domínio islâmico mas não produziu Arte Islâmica? Essa questão foi o ponto de partida da tese de doutoramento de Renata Fontanillas que, nesta sessão, se encarregará de partilhar um pouco do que seriam os objetos, provenientes dos séculos VIII a XIII, do território português.

A ORADORA

Renata Fontanillas é doutoranda em História da Arte na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, é investigadora integrada do ARTIS-IHA e integrou a equipa do projeto “Património Islâmico em Portugal”, conduzido pela Universidade Lusófona (FCSEA/ULHT). Seu projeto de doutoramento trata dos objetos islâmicos de Portugal e foi contemplado com uma bolsa de estudos pela Fundação Calouste Gulbenkian. Seu principal interesse de investigação é a Arte Islâmica produzida na Península Ibérica entre os séculos VIII e XV. É Gestora Cultural com especialização em ‘Gestão de Empresas e Instituições Culturais’ pela Universidade de Barcelona e juntamente à investigação de doutoramento tem se dedicado aos estudos e práticas de Curadoria e Gestão de Coleções e Acervos do universo islâmico.

Mais informações sobre o Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

 

Traduzir Camões e Pessoa para árabe (palestra com AbdelJelil Larbi, 24 jun. ’22)

TRADUZIR LUÍS DE CAMÕES E FERNANDO PESSOA PARA ÁRABE

Palestra com AbdelJelil Larbi
(ILNOVA-FCSH)

Sexta-feira dia 24 de junho às 18h (horário de Lisboa)

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos (Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona) – Coord. Fabrizio Boscaglia

RESUMO

Nesta sessão o tradutor e professor de árabe AbdelJelil Larbi apresenta o seu trabalho de tradução para árabe de duas obras clássicas da literatura portuguesa e lusófona: Os Lusíadas de Luís de Camões e Mensagem de Fernando Pessoa (Lello, 2022). Em conversa com Fabrizio Boscaglia (Universidade Lusófona), o tradutor apresentará os desafios que este trabalho implicou, assim como as dimensões interculturais do próprio.

O ORADOR

Abdeljelil Larbi (1975, Tunísia) professor de língua e literatura árabes no Ilnova-fcsh, licenciado em Língua, Literatura e Cultura árabes (FCSH- Tunis 1, 1999), Mestre em Cultura Islâmica clássica (Universidade de Manouba, Tunísia, 2003), doutorado em Literatura comparada (FCSH-UNL, 2020), tradutor de várias obras portugueses para a língua árabe (Memorial de Convento de José Saramago; Vamos comprar um poeta de Afonso Cruz, Vendedor de passados de José Eduardo Agualusa, Mensagem de Fernando Pessoa, Os Lusíadas de Luís de camões entre outras.

Mais informações sobre o Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022/

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

Islamofobia em Portugal – Palestra com Marta Araújo (27 mai. ’22)

ISLAMOFOBIA EM PORTUGAL
Representações mediáticas, discursos públicos e práticas institucionaisPalestra com Marta Araújo
(Centro de Estudos Sociais – Universidade de Coimbra)

Sexta-feira dia 27 de maio às 18h (horário de Lisboa)Via Zoom, sem inscriçãohttps://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos
(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona – Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica)
Coord. Fabrizio Boscaglia

RESUMO

A relação entre o Islão e Portugal é complexa e diversa em termos de protagonistas-chave, períodos históricos e conjunturas políticas que evoca – sendo um contexto particularmente adequado para o estudo da islamofobia. A partir de investigação desenvolvida num projecto europeu, e especificamente a análise crítica do discurso e investigação empírica sobre o contexto português, este artigo examina: por um lado, as narrativas sobre muçulmanos e Islão que circulam na literatura académica e no ciberespaço (2000-20); por outro, diferentes expressões de islamofobia – individual e institucional: i) um caso de vandalismo de uma mesquita e as narrativas mediáticas que se seguiram; ii) debates sobre a educação, nomeadamente no que diz respeito à organização escolar e ao ensino da história.

A ORADORA

Marta Araújo (PhD, Universidade de Londres, 2003) é Investigadora Principal do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES). O seu trabalho de investigação aborda duas linhas complementares: i) políticas públicas, discurso político e igualdade étnico-racial; ii) educação e história pública, focando no colonialismo e na escravização. Marta Araújo é co-coordenadora do Doutoramento ‘Democracia no Século XXI’ (CES/FEUC) e docente em vários programas doutorais. Tem actuado como consultora académica sobre discriminação e igualdade étnico-racial e estado envolvida em actividades de extensão. As suas publicações mais recentes incluem: ‘Islamophobia in Portugal, Beyond the National Register’, ReOrient, 2022; e Mobilizing History: Racism, Enslavement and Public Debate in Contemporary Europe, in Shirley Anne Tate and Encarnación Gutiérrez Rodríguez (Ed), The Palgrave Handbook of Critical Race and Gender, Palgrave, 2022 (com Kwame Nimako).

Mais informações sobre o Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022

Divulgar no Facebook: https://www.facebook.com/events/541056717645819

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

Gharb al-Andalus – Palestra com Susana Gómez Martínez (29 abr. ’22)

GHARB AL-ANDALUS: A ARQUEOLOGIA COMO CHAVE DA HISTÓRIA

Palestra com Susana Gómez Martínez

Sexta-feira dia 29 de abril de 2022 às 18h (horário de Lisboa)

 

Via Zoom (entrada livre, sem inscrição)

Link para participar: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

 

Um evento do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos

(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona, coord. Fabrizio Boscaglia)

 

RESUMO

Os textos medievais sobre o al-Andalus que se conservam referem rara vez o Gharb, isto é, os territórios mais ocidentais da Península Ibérica. Por este motivo, a informação que  proporciona a arqueologia é imprescindível para construir uma história específica desta região. Esta abordagem é especialmente relevante porque o Gharb foi um espaço com  particularidades muito próprias, periférico relativamente aos principais centros de poder como Córdova o Sevilha, sendo considerado frequentemente como um território marginal que só tardiamente cativou a atenção e os esforços de controlo por parte dos poderes que se foram sucedendo no al-Andalus. Assim, só a arqueologia permite reconhecer, em pormenor, como se desenvolveu o processo de islamização nas diferentes zonas do Gharb e de que modo e com que peculiaridades se materializou a sua integração nesta civilização.

 

A ORADORA

Doutorada pela Universidad Complutense de Madrid (2004), é investigadora do Campo Arqueológico de Mértola desde 1992, integrada no CEAACP desde 2008 e colaboradora de outros Centros de Investigação de Portugal e Espanha, nomeadamente o CIDEHUS e o Laboratório Hércules. Desde 2019 é professora auxiliar da Universidade de Évora. Foi bolseira da FCT de doutoramento (1997-2000) e de pós-doutoramento (2008-2009), e investigadora do Programa Ciência 2008 da FCT na Universidade de Coimbra (2009-2014). Dedica a sua investigação à história e arqueologia medievais e modernas, com especial incidência período islâmico, mas também desenvolve uma intensa atividade ligada à valorização do Património Cultural.

 

SEMINÁRIO PERMANENTE DE ESTUDOS ISLÂMICOS

Ciclo de palestras: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/seminario-permanente-de-estudos-islamicos-2022/

 

COORDENAÇÃO E CONTACTO

Fabrizio Boscaglia (fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt)

 

Seminário Permanente de Estudos Islâmicos (2022)

De abril de 2022 até dezembro de 2022 decorre a terceira edição do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, organizado pela Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica da Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona, com a coordenação do professor Fabrizio Boscaglia.

As sessões, salvo indicação diferente, decorrem via Zoom (https://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579).

A entrada é livre, sem inscrição.

PROGRAMA

29/04 – 18h00
Gharb al-Andalus: a arqueologia como chave da história
Susana Gómez Martínez (Universidade de Évora)


27/05 – 18h00
Islamofobia em Portugal: representações mediáticas, discursos públicos e práticas institucionais
Marta Araújo (Universidade de Coimbra)


24/06 – 18h00
Traduzir Fernando Pessoa e Luís de Camões para árabe
AbdelJelil Larbi (Universidade Nova de Lisboa) e Fabrizio Boscaglia (Universidade Lusófona)


29/07 – 18h00
Herança islâmica em Portugal: achados dos séculos VIII-XIII
Renata Fontanillas (Universidade de Lisboa)


30/09 – 18h00
Cosmologia alfanumérica e espiritualidade islâmica
Juan Acevedo (Universidade de Lisboa)


28/10 – 18h00 (data atualizada e final)
What is Islamic Art? A reflection on Calouste Gulbenkian’s collection
Jessica Hallet (Museu Calouste Gulbenkian)

 

16/12 – 18h00
O Amor Fundamental: diálogo entre Ibn ‘Arabī e Abhinavagupta
Sandra Benato (MIAS-Latina)

Cartaz: https://drive.google.com/file/d/1F31D2w7X8zeUzx4o9Se2cbjoUBuAvEgG/view?usp=sharing

Contacto: fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

Link para assistir (Zoom): https://videoconf-colibri.zoom.us/j/88353084579

A entrada é livre, sem inscrição.

 

ADIAMENTO DO COLÓQUIO «ISLÃO E EUROPA»

Por razões organizativas e logísticas, o Colóquio «Islão e Europa», a decorrer no contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, e inicialmente previsto para o dia 25 de novembro de 2022, ficou adiado para o início de março de 2023 (data a confirmar).

Mais informações serão dadas atempadamente.

(Fica confirmada a seguinte sessão do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, no 16 de dezembro).

 

 

ADIAMENTO DO COLÓQUIO «ISLÃO E EUROPA»

Por razões organizativas e logísticas, o Colóquio «Islão e Europa», a decorrer no contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, e inicialmente previsto para o dia 25 de novembro de 2022, ficou adiado para o início de março de 2023 (data a confirmar).

Mais informações serão dadas atempadamente.

(Fica confirmada a seguinte sessão do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos, no 16 de dezembro).

Mostra na Biblioteca Nacional de Portugal – Pinharanda Gomes (13 abr. – 17 set. ’22)

«PINHARANDA GOMES: HISTORIADOR DO PENSAMENTO PORTUGUÊS» – Mostra na Biblioteca Nacional de Portugal (13 abr. – 17 set. ’22)

Está agendada para quarta-feira dia 13 de abril, às 17h30, na Biblioteca Nacional de Portugal, a inauguração da mostra «Pinharanda Gomes: historiador do pensamento português».

Uma iniciativa liderada pela Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona, sobre o historiador da cultura portuguesa e filósofo católico Jesué Pinharanda Gomes (1939-2019).

Comissários: Miguel Real, Renato Epifânio e o nosso professor Fabrizio Boscaglia.⁣⁣⁣ ⁣⁣⁣ ⁣⁣⁣

Mais informações e programa no site da Biblioteca Nacional de Portugal:

http://www.bnportugal.gov.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=1685%3Amostra-pinharanda-gomes-historiador-do-pensamento-portugues-13-abr-09-jul-22&catid=173%3A2022&Itemid=1683&lang=pt

A corte omíada de Córdova – Palestra com Elsa Cardoso

A CORTE OMÍADA DE CÓRDOVA
Um modelo de sociedade de corte islâmico 

Palestra com Elsa Cardoso (Universität Hamburg)

16 dez. ’21
18h (hora de Lisboa)
Via Zoom (livre, sem inscrição): https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83658297381

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos (Universidade Lusófona)

RESUMO

 

No século X assistimos na Península Ibérica à construção de uma complexa sociedade de corte, reflectida especialmente na edificação da cidade palatina de Madinat al-Zahra, em Córdova, capital do Califato Omíada do al-Andalus. Quer os relatos presentes nas fontes escritas, quer os testemunhos arqueológicos e de cultura material transmitem-nos uma abundante linguagem ritual e burocrática, apenas existente em sociedades de corte desenvolvidas. Contudo, o modelo de sociedade de corte ocidental, especialmente aquele reflectido pela corte de Versalhes de Luís XIV, continua a ser um paradigma, identificado comummente como o modelo original do que deve ser uma verdadeira corte. Esta sessão tem como objectivo reflectir sobre os conceitos e dinâmicas dos modelos de sociedade de corte islâmica, tentando desta forma desmontar o papel que o imaginário normativo ocidental, frequentemente orientalista, continua a ter a este respeito.

A ORADORA

 

Elsa Cardoso é Research Fellow do RomanIslam – Center for Comparative Empire and Trancultural Studies (Universität Hamburg) em Estudos Árabes e Islâmicos, desenvolvendo a sua investigação em história do al-Andalus, especialmente dedicada à corte e cerimonial dos omíadas de Córdoba, adoptando uma perspectiva comparada com os omíadas de Damasco, abássidas e fatímidas, bem como o Império Bizantino e o Reino Visigodo, herdado pelos omíadas no al-Andalus. Embora os estudos de corte sejam um campo estabelecido para a cronologia europeia moderna, as cortes islâmicas carecem de uma investigação consistente. Nesse sentido, a sua tese de doutoramento (Universidade de Lisboa, 2020), intitulada “The door of the caliph: from the conceptualization to the articulation of ceremonial”, em cuja publicação está actualmente a trabalhar, considera a conceptualização da corte omíada do Al-Andalus, o palácio, o califa e a sua sociedade. Publicou diversos artigos e capítulos em revistas como Medieval Encounters e volumes como Byzantium in Dialogue with the Mediterranean (Brill), promovendo perspectivas comparativas no âmbito mediterrânico. Da mesma forma, tem participado em eventos científicos internacionais, como o International Medieval Congress of Leeds ou o Seminar Les Califats de l’Occident Islamique (Casa de Velázquez, CSIC). Leccionou nas licenciaturas de História e Estudos Asiáticos da Universidade de Lisboa, coordenou um curso de pós-graduação em história do al-Andalus na Universidade de Hamburgo e organizou o workshop internacional The Umayyads-From West to East: New Perspectives, no RomanIslam Centre, Universidade de Hamburgo.

ORGANIZAÇÃO E CONTACTO

 

Fabrizio Boscaglia
(fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt)

Linha de Investigação em Herança e Espiritualidade Islâmica (Área de Ciência das Religiões – ULHT)

Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/8742/

Expo sobre Sufismo no Museu Gulbenkian: Fabrizio Boscaglia é co-curador convidado

O Museu Gulbenkian dedica uma exposição ao Sufismo (mística islâmica), cujo co-curador convidado é o nosso professor Fabrizio Boscaglia, coordenador da Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica na Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona.

O título da exposição, a arrancar em 2022, é Sabedoria Divina: o Caminho dos Sufis.

Trata-se de um projeto inovador, no contexto do programa «O poder da palavra», sob a coordenação da curadora Jessica Hallet, e com a participação do público em oficinas online e presenciais.

Informações e candidaturas: https://gulbenkian.pt/museu/chamada-aberta-para-o-poder-da-palavra-iv/

Foucault e o Sufismo, palestra com Teresa Xavier (18 nov. ’21)

MICHEL FOUCAULT: POLÍTICA, ESPIRITUALIDADE E SUFISMO
Palestra com Teresa Xavier (Loughborough University)
18 nov. ’21
18h30 (hora de Lisboa)
Via Zoom, livre, aberto a todos (sem inscrição): https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83658297381
Seminário Permanente de Estudos Islâmicos da Universidade Lusófona

RESUMO
Esta comunicação, com o título “Michel Foucault: política, espiritualidade e sufismo”, tem como objecto de estudo o conceito de ‘espiritualidade política’ de Michel Foucault. No âmbito da obra do autor, este conceito surge, e é sobretudo discutido, a propósito de duas visitas que o autor fez ao Irão, em 1978, durante a Revolução Iraniana, a pedido do jornal italiano Corriere della Sera. Por essa razão, para melhor se entender a espiritualidade política foucaultiana, neste texto, estudaremos o conceito com a ajuda do caso iraniano e das suas profundas e ancestrais raízes no Sufismo. Por outro lado, definiremos os conceitos foucaultianos de espiritualidade e de política com a ajuda de três outras noções: êxtase, uso e cuidado.

A ORADORA
Teresa Xavier Fernandes é licenciada em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa. Fez o mestrado em política comparada, no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, com uma dissertação intitulada “Fábrica de Braço de Prata, um caso de democracia participativa?”. A seguir rumou a Inglaterra onde se doutorou na Universidade de Loughborough, em Teoria Política, com uma tese sobre o pós-anarquismo, com o título: “The Postanarchist, an activist in a ‘heterotopia’: building an ideal type”. Pertence ao Anarchist Research Group, da Universidade de Loughborough, e a sua área de investigação é a filosofia continental contemporânea. Paralelamente é jornalista, mantendo uma colaboração com a Radio France Internationale desde 2008. É também mãe de 4 filhos.

ORGANIZAÇÃO E CONTACTO
Fabrizio Boscaglia
(fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt)
Linha de Investigação em Herança e Espiritualidade Islâmica (Área de Ciência das Religiões – ULHT)
Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/8742/

Diálogo islamo-cristão na Fundação João XXIII com Fabrizio Boscaglia

Diálogo islamo-cristão avança, também graças às atividades do nosso professor Fabrizio Boscaglia, coordenador da Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica na Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona.

Eis o relato de uma recente atividade dele, decorrida na Semana de Estudos Mestre, quem é o meu próximo?, Na Fundação João XXIII – Casa do Oeste (Patriarcado de Lisboa), em Ribamar (Lourinhã)

«Uma manhã rica de conhecimento conduzida pelo prof. Fabrizio Boscaglia da Universidade Lusófona. Uma lição sobre o Islão, da qual retiramos que afinal são mais as coisas que nos aproximam do que as que nos afastam; que a espiritualidade se pode buscar e trabalhar a partir de qualquer ponto ou crença; Deus é Amor; fonte inesgotável de compaixão por todas as suas criaturas.»

(Alda Vicente, em Grito Rural, revista da Casa do OestePatriarcado de Lisboa)⁣

Redes Sociais