Falecimento de Maria Filomena Barros

É com uma imensa e indizível dor que vos comunico a notícia que ainda me deixa incrédulo: faleceu a nossa colega e querida amiga Filomena Barros.

A Filomena foi, durante um bom grupo de anos, a nossa professora das cadeiras de Estudos Islâmicos. Mesmo depois de ter deixado de ser nossa professora no Mestrado, manteve-se sempre próxima, participante e peça fundamental no desenho do que fazemos e do que somos.

Especialista reconhecida internacionalmente nos temas que trabalhava, especialmente no campo da Idade Média e das comunas muçulmanas, era uma voz conhecida e reconhecida no campo do diálogo, estabelecendo pontes, desenvolvendo a capacidade de juntar a academia às comunidades religiosas. Tantas foram as palavras que proferiu, por exemplo, nas sessões do Clube de Filosofia Al-Mu ‘tamid que organizámos em conjunto com a Comunidade Islâmica de Lisboa, que nos ficam no espírito.

A Filomena foi, para nós que estudamos as religiões, um olhar e uma presença muito forte naquilo que o dia de hoje representa. No Dia Internacional da Mulher, o dia em que nos deixou, homenageamos também a feminista, a lutadora pela igualdade e contra a discriminação.

Era a nossa “representante” nos debates sobre as religiões e o feminino. Tantas foram as vezes, tantas as palavras sábias construtoras de contemporaneidade. Tantas as posições serenas, conciliadoras sem deixarem de ser assertivas.

Perdemos uma amiga e uma académica brilhante. Perdemos, fundamentalmente, uma referência em termos de valores.

Obrigado Filomena por tudo o que nos deste, por tudo o que para nós simbolizas!

À família, aos amigos e à Universidade de Évora juntamo-nos no choro deste momento.

 

Redes Sociais