A corte omíada de Córdova – Palestra com Elsa Cardoso

A CORTE OMÍADA DE CÓRDOVA
Um modelo de sociedade de corte islâmico 

Palestra com Elsa Cardoso (Universität Hamburg)

16 dez. ’21
18h (hora de Lisboa)
Via Zoom (livre, sem inscrição): https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83658297381

No contexto do Seminário Permanente de Estudos Islâmicos (Universidade Lusófona)

RESUMO

 

No século X assistimos na Península Ibérica à construção de uma complexa sociedade de corte, reflectida especialmente na edificação da cidade palatina de Madinat al-Zahra, em Córdova, capital do Califato Omíada do al-Andalus. Quer os relatos presentes nas fontes escritas, quer os testemunhos arqueológicos e de cultura material transmitem-nos uma abundante linguagem ritual e burocrática, apenas existente em sociedades de corte desenvolvidas. Contudo, o modelo de sociedade de corte ocidental, especialmente aquele reflectido pela corte de Versalhes de Luís XIV, continua a ser um paradigma, identificado comummente como o modelo original do que deve ser uma verdadeira corte. Esta sessão tem como objectivo reflectir sobre os conceitos e dinâmicas dos modelos de sociedade de corte islâmica, tentando desta forma desmontar o papel que o imaginário normativo ocidental, frequentemente orientalista, continua a ter a este respeito.

A ORADORA

 

Elsa Cardoso é Research Fellow do RomanIslam – Center for Comparative Empire and Trancultural Studies (Universität Hamburg) em Estudos Árabes e Islâmicos, desenvolvendo a sua investigação em história do al-Andalus, especialmente dedicada à corte e cerimonial dos omíadas de Córdoba, adoptando uma perspectiva comparada com os omíadas de Damasco, abássidas e fatímidas, bem como o Império Bizantino e o Reino Visigodo, herdado pelos omíadas no al-Andalus. Embora os estudos de corte sejam um campo estabelecido para a cronologia europeia moderna, as cortes islâmicas carecem de uma investigação consistente. Nesse sentido, a sua tese de doutoramento (Universidade de Lisboa, 2020), intitulada “The door of the caliph: from the conceptualization to the articulation of ceremonial”, em cuja publicação está actualmente a trabalhar, considera a conceptualização da corte omíada do Al-Andalus, o palácio, o califa e a sua sociedade. Publicou diversos artigos e capítulos em revistas como Medieval Encounters e volumes como Byzantium in Dialogue with the Mediterranean (Brill), promovendo perspectivas comparativas no âmbito mediterrânico. Da mesma forma, tem participado em eventos científicos internacionais, como o International Medieval Congress of Leeds ou o Seminar Les Califats de l’Occident Islamique (Casa de Velázquez, CSIC). Leccionou nas licenciaturas de História e Estudos Asiáticos da Universidade de Lisboa, coordenou um curso de pós-graduação em história do al-Andalus na Universidade de Hamburgo e organizou o workshop internacional The Umayyads-From West to East: New Perspectives, no RomanIslam Centre, Universidade de Hamburgo.

ORGANIZAÇÃO E CONTACTO

 

Fabrizio Boscaglia
(fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt)

Linha de Investigação em Herança e Espiritualidade Islâmica (Área de Ciência das Religiões – ULHT)

Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/8742/

NOVO Livro de José Brissos- Lino: “A TEOLOGIA DE JESUS: Tudo o que o Mestre falou”

A TEOLOGIA DE JESUS: Tudo o que o Mestre falou
Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas, 2021Autor: José Brissos-Lino
Prefácio de Viriato Soromenho Marques

O livro agora publicado, da autoria do Prof. José Brissos-Lino, é extremamente inovador e constitui um excelente contributo científico que todos os estudantes de Teologia e Ciência das Religiões ganhariam em ler. O objecto da investigação a que o autor se propôs era simples: realizar o levantamento exaustivo de todo o discurso directo de Jesus Cristo, o fundador do cristianismo, plasmado nos quatro Evangelhos canónicos, e depois organizá-lo tematicamente, de modo a que nos pudéssemos aperceber, quer das grandes ênfases do seu pensamento, quer das matérias menos relevantes ou mesmo ausentes do seu discurso.
Procurou-se que este livro surgisse o menos enviesado possível, do ponto de vista doutrinário e confessional, permitindo assim leituras diversas por parte dos diferentes ramos religiosos que se inserem na fé cristã, ou dela se reclamam. Para tal o autor optou por se apoiar o mais possível nos próprios textos bíblicos e menos na produção teórica dos teólogos, esperando que o resultado seja útil para o fim em vista.
Numa recensão crítica à obra, Vítor Rafael diz: “Ao longo dos oitos capítulos que compõem o livro, e com base em inquérito efetuado aos discursos e às “frases soltas” de Jesus constantes nos quatro Evangelhos, o autor analisa magistralmente a doutrina, a ética e a espiritualidade de Jesus. No capítulo sétimo, em jeito de sumário, discorre
acerca dos equilíbrios necessários em matéria doutrinária contra certos exageros hermenêuticos praticados por muitas das instituições religiosas na atualidade (…). Esta obra, com um título bem ousado e original, pretende marcar certamente um novo marco nas linhas de investigação em torno do pensamento teológico de Jesus.”
O Prof. Viriato Soromenho Marques, que escreve o Prefácio, refere-se deste modo à obra do autor: “É nesta paisagem conturbada que merece saudação a obra de José Brissos-Lino que estas palavras prefaciam. O seu breve ensaio, rico de clareza, rigor e substantivo conteúdo, é um importante contributo para o retorno às raízes da mundividência cristã, através do discurso directo de Cristo, tal como é exposto no texto dos quatro Evangelhos. Este exercício ultrapassa, amplamente, o plano de um estudo académico no domínio das ciências da Religião, que também sabe ser (…).
Muito mais do que um assunto confessional, neste livro procura-se contrariar, no seu tempo e modo próprios, a erosão do sistema imunitário cultural da nossa sociedade, exposto aos crescentes e mais ousados avanços da barbárie, sob todas as suas modalidades. Também por isso, o que este livro oferece aos seus leitores pode bem ser
classificado como um generoso serviço público.”

Cocurador convidado da exposição «O Poder da Palavra», no Museu Calouste Gulbenkian é Fabrizio Boscaglia, professor universitário e investigador na Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona

Chamada aberta para «O Poder da Palavra IV»

De 20 de novembro a 15 de dezembro, estão abertas as candidaturas para participar na próxima edição do projeto curatorial «O Poder da Palavra», sob o tema «Sabedoria Divina: o Caminho dos Sufis».

 

O projeto O Poder da Palavra inclui uma série de intervenções curatoriais participativas na Galeria do Oriente Islâmico do Museu Calouste Gulbenkian.  Iniciado em 2018, as suas várias edições têm explorado temas tão diversos como o lugar das mulheres na arte islâmica, a peregrinação ou as narrativas universais interpretadas em contextos culturais diversos.

A quarta intervenção desta série intitula-se Sabedoria Divina: o Caminho dos Sufis. No Sufismo, a mística islâmica, a experiência estética tem um caminho muito próprio: arte e poesia são duas manifestações da beleza e da majestade de Allah.

Sabedoria Divina: o Caminho dos Sufis propõe investigar os objetos da coleção do Museu Calouste Gulbenkian que se relacionam com o Sufismo, e, em cada um, procurar a harmonia, a unidade e a sensibilidade que mostram o caminho para o maravilhamento, a inspiração e a pacificação.

Enquanto projeto curatorial participativo, procura criar um espaço de encontro, partilha e reflexão em torno dos objetos da coleção e da poesia sufi. Em conjunto, participantes, curadores e mediadores refletem sobre as manifestações sufis na arte e encontram poemas que revelam ou dialogam com as mensagens veiculadas pelo Sufismo.

O projeto destina-se tanto a pessoas com curiosidade sobre o Sufismo, como às que já se relacionam com este. A participação contempla três sessões de trabalho (uma online e duas presenciais) e uma pesquisa individual de poesia. As línguas de comunicação preferenciais são o português e o inglês.  Todas as línguas maternas são bem-vindas!

O cocurador convidado desta edição é Fabrizio Boscaglia, professor universitário e investigador na Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona.

 

Como funcionará o projeto?

A partir desta chamada aberta, são selecionados 12 participantes para integrar um grupo de trabalho com os curadores e mediadores. As pessoas interessadas deverão candidatar-se até ao dia 15 de dezembro.

O formulário de candidatura estará disponível nesta página a partir de 20 de novembro.

A resposta será enviada até ao dia 15 de janeiro de 2022. A seleção dos candidatos irá obedecer aos seguintes critérios:

  1. Motivação pessoal e/ou profissional em fazer parte do projeto;
  2. Diversidade de perfis, permitindo o encontro entre quem já conhece o Sufismo e aqueles para quem este é uma novidade;
  3. Diversidade de línguas, origens culturais e interesses; dada a natureza da coleção, um elemento de preferência é o conhecimento ou o estudo de uma língua do Médio Oriente, sendo que os idiomas de comunicação preferenciais serão o português e/ou o inglês.

 

O que é esperado dos participantes?

Cada participante será convidado a refletir e a contribuir de forma criativa para a exposição final. O grupo de trabalho encontra-se na primeira sessão online (em janeiro) e em duas sessões presenciais (em fevereiro). A partir de um conjunto de obras apresentado pelos curadores, o grupo seleciona poemas que possam integrar a exposição, a página do site, entre outros meios de comunicação. O trabalho de recolha e seleção dos poemas é feito individualmente, entre as sessões presenciais. Estimamos que a participação total no projeto irá requerer cerca de 16 horas (8 horas de trabalho de grupo e 8 horas de trabalho individual).

 

Formulário de Inscrição

Veja mais em: https://gulbenkian.pt/museu/chamada-aberta-para-o-poder-da-palavra-iv/

Expo sobre Sufismo no Museu Gulbenkian: Fabrizio Boscaglia é co-curador convidado

O Museu Gulbenkian dedica uma exposição ao Sufismo (mística islâmica), cujo co-curador convidado é o nosso professor Fabrizio Boscaglia, coordenador da Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica na Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona.

O título da exposição, a arrancar em 2022, é Sabedoria Divina: o Caminho dos Sufis.

Trata-se de um projeto inovador, no contexto do programa «O poder da palavra», sob a coordenação da curadora Jessica Hallet, e com a participação do público em oficinas online e presenciais.

Informações e candidaturas: https://gulbenkian.pt/museu/chamada-aberta-para-o-poder-da-palavra-iv/

FÓRUM TEÓFILOS | Partilha e discussão entre amantes de Teologia

Iniciado há cerca de dois anos e sempre acreditando que seria possível haver um diálogo saudável entre católicos e de outras confissões cristãs, designadamente protestantes e evangélicas, criou-se um espaço à reflexão teológica e ao diálogo ecuménico / interconfessional. Neste grupo de partilha e discussão para os amantes de Teologia e que deverá ser único aqui em Portugal, pretende-se que seja um espaço de livre pensamento, tendo-se como pressuposto o respeito mútuo entre todos os intervenientes e maturidade para a discussão de todos os temas publicados. Neste momento ultrapassámos já os 350 membros, sendo a grande maioria católica, muitos deles padres jesuítas, inclusive redentoristas e franciscanos. Temos igualmente pastores protestantes e evangélicos que assumem igualmente um discurso de tolerância e ecuménico. Fazem igualmente parte das políticas deste grupo, a interdição a qualquer discurso apologético, o recurso a qualquer tipo de linguagem que seja ofensiva e que não respeite as ideias maduramente as ideias de cada membro.

Convidamos professores, alunos do Curso de Ciência das Religiões ou similares, bem como a todos os interessados a visitar o grupo no link disponibilizado em baixo.

https://www.facebook.com/groups/527791304538791

Foucault e o Sufismo, palestra com Teresa Xavier (18 nov. ’21)

MICHEL FOUCAULT: POLÍTICA, ESPIRITUALIDADE E SUFISMO
Palestra com Teresa Xavier (Loughborough University)
18 nov. ’21
18h30 (hora de Lisboa)
Via Zoom, livre, aberto a todos (sem inscrição): https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83658297381
Seminário Permanente de Estudos Islâmicos da Universidade Lusófona

RESUMO
Esta comunicação, com o título “Michel Foucault: política, espiritualidade e sufismo”, tem como objecto de estudo o conceito de ‘espiritualidade política’ de Michel Foucault. No âmbito da obra do autor, este conceito surge, e é sobretudo discutido, a propósito de duas visitas que o autor fez ao Irão, em 1978, durante a Revolução Iraniana, a pedido do jornal italiano Corriere della Sera. Por essa razão, para melhor se entender a espiritualidade política foucaultiana, neste texto, estudaremos o conceito com a ajuda do caso iraniano e das suas profundas e ancestrais raízes no Sufismo. Por outro lado, definiremos os conceitos foucaultianos de espiritualidade e de política com a ajuda de três outras noções: êxtase, uso e cuidado.

A ORADORA
Teresa Xavier Fernandes é licenciada em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa. Fez o mestrado em política comparada, no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, com uma dissertação intitulada “Fábrica de Braço de Prata, um caso de democracia participativa?”. A seguir rumou a Inglaterra onde se doutorou na Universidade de Loughborough, em Teoria Política, com uma tese sobre o pós-anarquismo, com o título: “The Postanarchist, an activist in a ‘heterotopia’: building an ideal type”. Pertence ao Anarchist Research Group, da Universidade de Loughborough, e a sua área de investigação é a filosofia continental contemporânea. Paralelamente é jornalista, mantendo uma colaboração com a Radio France Internationale desde 2008. É também mãe de 4 filhos.

ORGANIZAÇÃO E CONTACTO
Fabrizio Boscaglia
(fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt)
Linha de Investigação em Herança e Espiritualidade Islâmica (Área de Ciência das Religiões – ULHT)
Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/8742/

Diálogo islamo-cristão na Fundação João XXIII com Fabrizio Boscaglia

Diálogo islamo-cristão avança, também graças às atividades do nosso professor Fabrizio Boscaglia, coordenador da Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica na Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona.

Eis o relato de uma recente atividade dele, decorrida na Semana de Estudos Mestre, quem é o meu próximo?, Na Fundação João XXIII – Casa do Oeste (Patriarcado de Lisboa), em Ribamar (Lourinhã)

«Uma manhã rica de conhecimento conduzida pelo prof. Fabrizio Boscaglia da Universidade Lusófona. Uma lição sobre o Islão, da qual retiramos que afinal são mais as coisas que nos aproximam do que as que nos afastam; que a espiritualidade se pode buscar e trabalhar a partir de qualquer ponto ou crença; Deus é Amor; fonte inesgotável de compaixão por todas as suas criaturas.»

(Alda Vicente, em Grito Rural, revista da Casa do OestePatriarcado de Lisboa)⁣

O Grupo Lusófona é o maior grupo educacional de língua portuguesa, proporcionando aos seus alunos experiência e qualidade de ensino. Conheça o novo Reitor na Faculdade Lusófona SP.

O Grupo Lusófona é o maior grupo educacional de língua portuguesa, proporcionando aos seus alunos experiência e qualidade de ensino.
Em todos os nossos campus, contamos com toda a infraestrutura necessária para a formação dos alunos, como laboratórios modernos, cozinha, bibliotecas, e espaços ao ar livre.
Conheça o nosso novo reitor, Profº Paulo Mendes Pinto, e confira o que ele tem a dizer sobre a nossa faculdade!

CURSO: A RELIGIÃO NA CONTEMPORANEIDADE: FOBIAS, MEDOS E TENSÕES

CURSO: A RELIGIÃO NA CONTEMPORANEIDADE: FOBIAS, MEDOS E TENSÕES

SÁBADOS, 15H
PRESENCIAL E ON-LINE NO FACEBOOK
DAS BIBLIOTECAS MUNICIPAIS DE OEIRAS

6 DE NOV, SÁB, 15H – A GÉNESE DO MEDO, POR MIGUEL REAL
13 DE NOV, SÁB, 15H – DEMÓNIOS E COMPANHIA: PROPAGANDA E MITIFICAÇÃO DOS JESUÍTAS
COMO FENÓMENO GLOBAL NA ÉPOCA MODERNA, POR JOSÉ EDUARDO FRANCO
20 DE NOV, SÁB, 15H – O MITO NEGRO DA MAÇONARIA, POR FERNANDO MARQUES DA COSTA
27 DE NOV, SÁB, 15H – AS FERRAMENTAS DA ISLAMOFOBIA, POR FABRIZIO BOSCAGLIA

NOTA: AS SESSÕES DE 6, 13 E 20 DE NOVEMBRO TERÃO LUGAR NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE OEIRAS; A SESSÃO DE 27 DE NOVEMBRO REALIZAR-SE-Á NA LIVRARIA-GALERIA MUNICIPAL VERNEY.

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:
GALERIA.VERNEY@OEIRAS.PT; 21 440 83 29

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE OEIRAS
AV. DR. FRANCISCO DE SÁ CARNEIRO 17
2780-241 OEIRAS

LIVRARIA-GALERIA MUNICIPAL VERNEY
RUA CÂNDIDO DOS REIS, No90/90A
2780-211 OEIRAS

Cultura luso-árabe e luso-islâmica – Colóquio na BNP (21 out. ’21)

CULTURA LUSO-ÁRABE E LUSO-ISLÂMICA

Colóquio de homenagem a al-Mu’tamid e Adalberto Alves
Biblioteca Nacional de Portugal (21 out. ’21, das 11h às 19h)

 

Colóquio que pretende debater alguns tópicos e figuras inerentes aos cruzamentos, encontros e diálogos entre culturas árabe, islâmica e portuguesa, a partir e para além do legado literário, filosófico e espiritual do Gharb al-Andalus, o ocidente peninsular durante o período islâmico medieval da Península Ibérica.

No auditório da Biblioteca Nacional de Portugal, um conjunto de especialistas, investigadores, tradutores e escritores reúnem-se para apresentar comunicações sobre poesia árabe, filosofia e mística islâmica do Gharb al-Andalus, assim como sobre influências, representações e apropriações do próprio Gharb al-Andalus e do Islão na cultura portuguesa.

O colóquio decorre no contexto das atividades associadas às mostras Al-Muʿtamid: poeta do Gharb al-Andalus e Adalberto Alves: 40 anos de vida literária, homenageando o poeta árabe natural de Beja (nos 980 anos do seu nascimento), bem como o poeta e estudioso português (nas quatro décadas desde o seu primeiro livro).

Evento presencial, com transmissão no Facebook de Ciência das Religiões: https://www.facebook.com/Ciencia.das.Religioes

 

PROGRAMA

 

11h00 | Abertura dos trabalhos

11h30 | Adel Sidarus | Sufismo algarvio e política peninsular em meados do século XII

12h00 | António Rei | Os Sufis no Gharb al-Andalus entre os séculos X e XIII

12h30 | Debate

13h00 | Pausa para almoço

15h00 | Fabrizio Boscaglia | Notas sobre o Islão no pensamento português contemporâneo

15h30 | Maria Azenha | Adalberto Alves: vertigem e altitude

16h00 | Debate

16h30 | Natália Nunes | Ibn Bassām al-Šantarīnī e a sua antologia al-Ḏajīra: uma das fontes árabes da literatura do Gharb al-Andalus

17h00 | Maria João Cantinho | Al-Muʿtamid e Ibn ʿAmmār: uma relação conturbada

17h30 | Hugo Maia | Al-Muʿtamid e As mil e uma noites

18h00 | Debate

18h3 | Adalberto Alves – Palavras de encerramento

 

COMISSÃO CIENTÍFICA

 

Fabrizio Boscaglia, Maria João Cantinho, Hugo Maia

 

ORGRANIZAÇÃO

Linha de Investigação Herança e Espiritualidade Islâmica, Área de Ciência das Religiões da
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Seminário Permanente de Estudos Islâmicos)

 

PARCERIAS E APOIOS

 

Biblioteca Nacional de Portugal, Fundação Islâmica de Palmela, MIAS-Latina, Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa

 

CONTACTO

 

fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt

 

LINKS

 

Biblioteca Nacional de Portugal: http://www.bnportugal.gov.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=1631%3Acoloquio-cultura-luso-arabe-e-luso-islamica-21-out-21-11h00&catid=172%3A2021&Itemid=1631&lang=pt

Seminário Permanente de Estudos Islâmicos: https://cienciadasreligioes.ulusofona.pt/noticias/8742/

Facebook: https://www.facebook.com/events/467512707771354

Inês Borges (Mestre Ciência das Religiões) ganha segundo prémio concurso do Projeto Jovem do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável

Inês Borges (Mestre em Ciência das Religiões) ganha segundo prémio concurso do Projeto Jovem do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável.

O Júri valorizou especialmente a relevância e actualidade do tema, a originalidade, qualidade e criatividade, e as contribuições para atingir os objectivos de 2030 dos ODS.

Veja aqui o artigo “Jornada Internacional da Juventude 2023”: Proyecto Joven – Inês Borges (1)

NÓMADAS DO PENSAMENTO | 28 SET – 21H00 | AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO

Caros amigos,
Após um longo período pandémico, voltamos a atividades presenciais (segundo todas as normas indicadas pela DGS).
Retomamos essa presença física no dia 28, pelas 21h, com o “Nómadas do Pensamento”, que organizo com o Pedro Abrunhosa.
A sessão será no Aud. Ruy de Carvalho, em Carnaxide (Oeiras).
Tema: A traição da memória?
O património e a história na encruzilhada de identidade e da justiça
Oradores:
Luísa Costa Gomes
e
Adolfo Mesquita Nunes
(intervenção musical de abertura pelo Pedro Abrunhosa)
A entrada é livre.
Será um imenso prazer acolher-vos nesta sessão que nos traz uma temática urgente na ordem do dia.
Aguardo a vossa presença neste regresso aos debates ao vivo!
PMP

Filosofia islâmica: palestra com Catarina Belo (23 set. ’21)

FILOSOFIA ISLÂMICA: A CIDADE VIRTUOSA DE AL-FĀRĀBĪ

Palestra com Catarina Belo (American University in Cairo)

Seminário Permanente de Estudos Islâmicos
(Área de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona)

Quinta-feira dia 23 de setembro às 18h (hora de Portugal continental)

Via Zoom, livre, aberto a todos (sem inscrição): https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83658297381

APRESENTAÇÃO

Em «Os princípios das ideias dos habitantes da cidade virtuosa» Alfarabi (m. 950) desenvolve uma síntese filosófica original que abrange os domínios da astronomia, da física, da metafisica, da biologia, da antropologia filosófica e da política. Esta obra apresenta uma forte influência neoplatónica, sem descurar aspectos importantes da teologia especulativa islâmica. A influência aristotélica também é visível na maneira como Alfarabi trata a questão da causalidade. A teoria do filósofo-rei, também desenvolvida por Alfarabi, indica a influência de Platão. Esta obra veio a tornar-se um marco incontornável para pensadores islâmicos posteriores.

A ORADORA

Catarina Belo é formada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e em Árabe e Estudos Islâmicos pela Universidade de Londres (School of Oriental and African Studies). Doutorou-se em Filosofia Islâmica (Universidade de Oxford, Faculdade de Estudos Orientais). De 2004 a 2005 foi investigadora na Alemanha (Universidade de Colónia, Martin-Buber-Institut für Judaistik). Foi professora auxiliar de Filosofia na Universidade Americana no Cairo, Egipto, de 2006 a 2013. Desde 2013 é professora associada de Filosofia na mesma universidade. É membro do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa.

ORGANIZAÇÃO E CONTACTO

Fabrizio Boscaglia
(fabrizio.boscaglia@ulusofona.pt)

Linha de Investigação em Herança e Espiritualidade Islâmica (ULHT)

Seminário Permanente de Estudos Islâmicos (2021)

Jorge Sampaio, uma “luz bruxuleante” para a lusofonia

Conheça algumas suas participações e impactos Lusofonia e CPLP.

Foram sentidas as homenagens a Jorge Sampaio, Presidente da República entre 1996 e 2006, anteriormente Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, político com um extenso currículo cívico, especialmente no campo dos Direitos Humanos. O Ensino Lusófona não podia deixar de se juntar a este momento através do seu testemunho.

Jorge Sampaio foi um importante construtor da Lusofonia e da CPLP. Em nota de pesar, o Secretário Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Zacarias da Costa, realçou “o papel desempenhado por Jorge Sampaio na cimeira fundadora da CPLP, em 1996”. A este ato, é de destacar, no quadro da construção de uma CPLP justa e fraterna, a força hercúlea com que se lançou à missão de conseguir a independência de Timor-Leste. Não foi sem mérito que foi nomeado Embaixador de Boa-Vontade da CPLP e agraciado, em 2016, com o Prémio José Aparecido de Oliveira.

Internacionalmente, foi reconhecidamente um construtor de pontes, de diálogo e de consensos. Em 2015 recebeu o Prémio Nelson Mandela, atribuído pela ONU e, em 2007, fora nomeado Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon.

Valorizador do diálogo entre as religiões, a proximidade de Jorge Sampaio à Universidade Lusófona fez-se exatamente nesse campo, tendo a comunidade académica tido a honra de ter a sua presença em vários momentos.

Ainda como Presidente da República, Jorge Sampaio presidiu, em 2002, no campus do Campo Grande, à homenagem de Frei Bento Domingues, então diretor da Licenciatura em Ciência das Religiões, aquando da comemoração dos seus dez anos de crónicas no jornal Público.

Já como Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações, escolheu a Un. Lusófona para a celebração da primeira World Interfaith Harmony Week, no dia 1 de fevereiro de 2011, numa cerimónia em que também esteve presente o antigo Presidente da República Mário Soares, na altura Presidente da Comissão da Liberdade Religiosa. Desde essa data que a área de Ciência das Religiões organiza a comemoração dessa semana da harmonia inter-religiosa.

No ano de 2013, foi um dos oradores, com Paulo Borges, Henrique Pinto e Paulo Mendes Pinto, na sessão do Clube de Filosofia Al-Mu’tamid dedicada ao «Diálogo entre e com as Religiões», um espaço de pensamento criado entre a Universidade Lusófona e a Comunidade Islâmica de Lisboa. Esta sessão, na Mesquita Central de Lisboa, foi das que mais interesse criou na comunidade, tendo participado no jantar-tertúlia 105 pessoas.

Em 2016, Jorge Sampaio foi novamente orador numa sessão do Clube de Filosofia Al-Mu’tamid. No dia 16 de outubro, um painel único reuniu-se para o debate: «Citizenship, Dialogue and Peace». Foram oradores, para além de Sampaio, Ismail Serageldin, Diretor da Biblioteca de Alexandria, no Egipto, e o pensador Eduardo Lourenço, moderados por Paulo Mendes Pinto, da Un. Lusófona, e por Abdool Vakil, Presidente da Comunidade Islâmica de Lisboa.

Numa intervenção que a todos tocou, e com Donald Trump em pano de fundo, Jorge Sampaio afirmou que “vivemos tempos onde precisamos que haja paz”, com “grande miséria social, onde o ódio é evidente”, lembrando que “a diversidade requer uma boa governação para não haver preconceitos” e para ser possível existir cidadania “independentemente da cor, género ou orientação sexual”.

A ligação das Instituições de Ensino Superior – Ensino Lusófona, aprofundaram ainda mais a sua ligação ao antigo Presidente Jorge Sampaio, com a integração e participação na Plataforma de Assistência Académica de Emergência a Estudantes Sírios. Foram recebidos alunos sírias na Universidade Lusófona, na Universidade Lusófona do Porto. No total, as instituições Ensino Lusófona acolheram 25 alunos.


Sessão de Receção aos primeiros 10 alunos, no Auditório Agostinho da Silva, Campus Universitário da Universidade Lusófona.

Entre outros, os alunos sírios frequentaram os cursos de Engenharia Informática e Sistemas de Informação, Diplomacia e Relações Internacionais, Gestão, Design, IT Engineering, Gestão de Recursos Humanos, Turismo e MBA Excelência Organizacional.

Redes Sociais